Jhonatan Jeferson

Em jogo muito importante da Série B2 do Carioca, Campo Grande e Barra da Tijuca batalhavam pela segunda vaga do grupo A. O vencedor, dependendo do resultado da partida entre Pérolas Negras e Itaboraí Profute, se classificaria para a semifinal do Primeiro Turno da B2. 

Mandando o jogo na Rua Bariri, o Campo Grande começou a partida muito fechado, esperando que o Barra da Tijuca se abrisse. Logo aos quatro minutos, uma falta boba na entrada da área do Campusca quase resulta em gol do Barra. A bola não entrou por um capricho, batendo na trave e indo para fora. As ações eram controladas pela equipe visitante, mas o Campo Grande teve um contra-ataque mortal aos 15 minutos. Jefferson Pé ganhou na velocidade de seu marcador, rolou a bola para Diego Basílio que só teve o trabalho de tirar a bola do goleiro. 1 a 0 e a classificação parecia encaminhada, pois o resultado da partida do Pérolas Negras favorecia o Campo Grande. 

A primeira etapa seguiu sendo controlada pelos mandantes, sem criar grandes chances, mas sem sustos também. Nos minutos finais, o Campusca começou a pressionar muito e, merecidamente, conseguiu o segundo gol aos 46. Em mais um contragolpe fulminante, Diego Basílio recebe bom passe, avança, invade a área do Barra da Tijuca, dribla o defensor e bate no cantinho do goleiro, sem chances de defesa!

Para o intervalo, o Campo Grande era soberano no jogo e a vitória por 2 a 0, somado ao resultado igual para o Pérolas Negras, garantia a classificação para a semifinal da Taça Maracanã ao Campusca. O time da zona oeste só não conseguiria avançar se deixasse de vencer o jogo, ou o Pérolas ganhasse por uma diferença de gols maior a sua partida.

O Barra da Tijuca, ainda sonhando com a virada e uma classificação heroica, veio com muitas mudanças para a etapa final. Aos 10 minutos, porém, quem quase marcou de novo foi o Campo Grande. Mais um contra-ataque, Daniel Marins teve tudo para fazer o 3 a 0, mas o goleiro Yan salvou o Barra. Os visitantes tentavam criar, mas o campo molhado e a solidez defensiva do adversário não permitia grandes oportunidades. Com o contra-ataque à disposição, o Campo Grande teve oportunidades aos 27 e 34 minutos, mas a zaga do Barra da Tijuca apareceu bem em ambas e salvou a equipe.

No que cabia ao Campusca, a classificação parecia garantida. Porém, o placar do jogo entre Pérolas e Itaboraí apontava 4 a 1, o que obrigava que o Galo Carioca fizesse mais gols para avançar às semifinais.

As chances perdidas custaram caro e, aos 44, pênalti para o Barra da Tijuca. Júlio César, experiente jogador da equipe, converteu a oportunidade e deu números finais ao placar. 2 a 1 para o Campo Grande. Apesar da boa atuação, a equipe alvinegra não avançou para a semifinal da Taça Maracanã, terminando em terceiro no grupo A com 14 pontos, a mesma pontuação do Pérolas Negras, mas com saldo inferior. Seu rival direto acabou goleando o Itaboraí por 5 a 1 e avançado. O Barra da Tijuca, que ainda sonhava, acabou na quarta colocação.

Tanto Campo Grande quanto Barra da Tijuca focam agora para o segundo turno da Série B2. As duas equipes devem manter a base das suas campanhas, visando somar o máximo de pontos para lutar pela semifinal do segundo turno, ou não ter riscos de rebaixamento.

Texto de Hugo Lage

Matéria Publicada em 09/12/2020 às 19:29

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.