Foto: Bruninho Volotão / Cabofriense

Neste sábado, aconteceu a última rodada do grupo A7 da Série D. Dos três jogos com times do nosso estado, dois envolviam classificação para a segunda fase. Em Cabo Frio, Cabofriense e FC Cascavel disputaram a vaga da Serpente para a segunda fase. Já em Toledo, Portuguesa e o time que tem o mesmo nome da cidade também se enfrentaram, valendo vaga para a Lusa. 

E a Lusa até levou a melhor durante quase todo o tempo de partida, com gol de Muniz. O Toledo só não levou mais gol por causa das defesas do goleiro Vinícius. Este jogo teve uma cobertura prejudicada por causa do roubo dos equipamentos do estádio 14 de Dezembro, lá em Toledo. 

Já em Moça Bonita, Bangu e Mirassol jogaram apenas para cumprir tabela e empataram em 0 a 0. Na verdade, essa partida só definiu quem iria ficar em segundo e terceiro lugares no grupo 7. 

No Correão, Cabofriense e Cascavel fizeram um jogo muito elétrico do começo ao fim. Um dos destaques do time paranaense, Paulo Baya, acertou muitas bolas na trave. Aliás, o jogo todo foi assim: chances perdidas e defesas do goleiro Lucão, do time da Região dos Lagos, que em alguns momentos, foi pra cima dos atacantes adversários e por três vezes, precisou de atendimento médico. 

As mexidas feitas pela Cabofriense no decorrer da segunda etapa fizeram o jogo ficar mais nervoso. Como a Portuguesa estava ganhando do Toledo, o Cascavel começou a ficar desesperado em busca do primeiro gol. O Tricolor Praiano até aproveitava os contra – ataques e o desespero da Serpente, mas não soube fazer com maestria. 

O juiz deu incríveis oito minutos de acréscimos e com o passar do tempo, o desespero do Cascavel aumentava, especialmente a partir dos 47 minutos do segundo tempo, quando o jogo entre Toledo e Portuguesa acabou e o resultado vinha eliminando o Cascavel. Perto do fim dos acréscimos, o time paranaense foi para cima da arbitragem e o pedido foi atendido: aos 54 minutos do segundo tempo, um minuto a mais que o tempo regulamentar, o árbitro deu uma falta duvidosa. Paulo Baya, que não tinha nada a ver com isso cobrou com perfeição e desta vez, Lucão não salvou. 1 a 0. Cascavel classificado e Lusa eliminada. 

Após o fim da partida, os jogadores do Tricolor Praiano cercaram a equipe de arbitragem e além disso também houve desentendimento entre os jogadores de ambos os times. 

Com o resultado, a Cabofriense foi para o terceiro lugar e na próxima fase, vai pegar o São Luiz de Ijuí. Se for eliminada, volta a jogar em janeiro de 2021, para a Seletiva. 

Para Portuguesa e Bangu, o ano acabou. Os dois times só voltam a campo no fim de fevereiro de 2021, para a disputa do Campeonato Carioca. O Bangu, no entanto, vai jogar a Série D no ano que vem, devido ao cancelamento da Copa Rio, que deu a terceira vaga ao terceiro melhor time sem divisão (o Bangu foi oitavo, enquanto o Boavista foi quarto e o Madureira foi sexto). Quanto à Lusa, ela só volta à Série D em 2022, se classificar-se entre os dois melhores sem divisão ou vencer a Copa Rio 2021.

Texto de Luiz Nascimento

Matéria publicada em 27/11/2020, às 19:45 

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.