Foto: Divulgação / Barra Mansa

Após a suspensão do Carapebus nos últimos dias de 2020,  já revertida após o clube regularizar sua situação junto à FERJ, a Série B2 tem mais uma notícia bombástica nos bastidores: dessa vez a agremiação envolvida é o Pérolas Negras

Uma fonte informou na tarde de ontem (02) ao Cariocado, que havia um jogador em situação irregular atuando pela Série B2 desde o início da competição. Essa situação, conforme o seu depoimento, teria um grande impacto, no campeonato podendo até resultar em rebaixamento da equipe envolvida. Depois de algumas apurações e novas informações da fonte, que não quis se identificar,  veio à tona o nome do goleiro reserva do Pérolas Negras, Deiverson Brito dos Santos, conhecido como Santos.


Entenda o caso:

Santos atuou por um bom tempo pelo Barra Mansa e estava envolvido em uma suposta tentativa de manipulação de resultados durante a Série B1 do Campeonato Carioca de 2017. A FERJ, após tomar conhecimento da manobra que envolvia o Barra Mansa, comunicou os fatos junto à Procuradoria do TJD-RJ e à Delegacia do Consumidor (DECON). Foram constatados indícios de manipulação e dirigentes do clube envolvido foram afastados. O Ministério Público denunciou a fraude e o processo correu em segredo de justiça. 

Ocorreu uma abertura de inquérito na esfera desportiva que contou com a participação de presidente, gerente, treinador e cinco jogadores do clube: Anderson Martins, Lincon da Silveira, Luiz Fernando Irala, Deiverson Brito, Diego de Resende, Gustavo Ferreira, Jorge Antônio e Willian Macedo. 

Dentre os jogadores envolvidos, Deiverson Brito (Santos) foi denunciado, juntamente com  Gustavo Ferreira Gabriel e Willian Macedo da Costa, por não ter atendido às intimações. O relator do processo, Dr. Rafael de Medeiros, puniu Deiverson e os demais atletas em R$ 500,00 e suspensão de 90 dias, desclassificando para o artigo 223 do CBJD, “deixar de cumprir ou retardar o cumprimento de decisão, resolução,  transação disciplinar desportiva ou determinação da Justiça Desportiva”. Os demais auditores acompanharam.  

Após o episódio, o contrato de Santos se encerrou no dia 20/12/2018, quando o processo já havia sido finalizado. O atleta não havia assinado com nenhum clube até ter sua contratação acertada pelo Pérolas Negras no dia 03/11/2020, como pode ser conferida na imagem abaixo:

Pelo fato de que o Pérolas Negras é o primeiro clube de Santos após o processo, o atleta deveria cumprir a suspensão de 90 dias sem poder atuar neste campeonato corrente da Série B2. Porém o jogador foi relacionado em onze dos doze jogos que o Pérolas Negras disputou na competição. Tal informação pode ser confirmada nas súmulas das partidas, no site da FERJ.

O Cariocado tem informações de que algumas equipes que disputam a Série B2 entrarão com processo no TJD. O Pérolas Negras pode ser penalizado por descumprir o Artigo 214 das Normas e Legislação Complementar do STJD, que diz:

Art. 214. Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente.88 (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009)

Caso o Pérolas Negras seja autuado, poderá perder os pontos conquistados na Série B2 de 2020, ocasionando assim no rebaixamento automático do clube para a Série C do Campeonato Carioca. Atualmente, o Pérolas Negras está na terceira posição na classificação geral, com 23 pontos. Pela Taça Waldir Amaral, o Pérolas Negras está com 9, um ponto atrás do líder Barra da Tijuca. Com a perda de pontos, a equipe pode despencar para a lanterna, tanto em seu grupo quanto no ranking geral.

Matéria publicada em 03/01/2021 às 20:14

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.