Foto: Vitor Melo / Nova Iguaçu

Nesta quarta-feira (09), se enfrentaram pela semifinal da Série B1, Nova Iguaçu e Duque de Caxias. O Tricolor da Baixada tinha a vantagem do empate, mas o Nova tinha o regulamento debaixo do braço e com gol de Raphael Carioca, garantiu o acesso à elite do futebol carioca, apenas cinco meses depois de ter feito péssima campanha no Grupo Z da primeira divisão. 

1º tempo

O jogo começou com um Duque sabendo administrar a vantagem que havia conseguido no sábado. Por outro lado, o Nova Iguaçu, querendo reverter a vantagem a todo custo, errava muitas finalizações. A Laranja viveu uma situação inédita na B1: propor o jogo, ao invés de jogar no erro dos adversários. As melhores chances eram do Tricolor da Baixada. A primeira chance do Nova Iguaçu foi com Gustavo, logo após cabeçada de Rafinha. 

Mas a arbitragem não esteve em uma tarde bem inspirada. As coisas começaram a ficar bem estranhas aos 17 minutos, quando o juiz Andrew Ferreira de Mello acabou se confundindo na hora de dar tiro de meta para o Duque de Caxias ou escanteio para o Nova Iguaçu. No fim das contas, ele preferiu a segunda opção. 

Aos 20, mais um lance questionável: o ataque do Nova Iguaçu estava impedido, mas o árbitro deu escanteio em vez de impedimento. 

O Nova Iguaçu, desesperado e muito nervoso, errava finalizações. Aos 22, Charles Chad, deu um chute desastroso. 

As chances iguaçuanas foram em bolas paradas, enquanto o Duque de Caxias, tranquilo, achava as chances, mas elas paravam na eficiente zaga do Nova Iguaçu. 

Aos 26 minutos, uma boa chance para o Duque de Caxias. Aproveitando o nervosismo do time laranja, Rafael Tanque roubou a bola do seu xará Neuhaus, saiu em velocidade e até tentou cruzar para Alex Pixote, mas o cruzamento não deu certo. 

Aos 32, mais uma mostra do nervosismo do Nova Iguaçu. Charles Chad isolou uma bola. Uma das várias finalizações erradas na transição do segundo para o último terço do primeiro tempo. 

Aos 38, mais uma polêmica com a arbitragem: Maikon Aquino, do Duque de Caxias, pediu pênalti, mas o juiz deu falta de ataque. Por reclamação, Rafael Tanque recebeu amarelo. 

Aos 40, foi a vez do banco do Nova Iguaçu partir para cima da arbitragem e o finalzinho de primeira etapa foi marcado por muita discussão. Aos 43, os jogadores do Duque cercaram o juiz Andrew e logo no minuto seguinte, Anderson Künzel, do Nova Iguaçu, recebeu amarelo, assim como Luã Lúcio (titular pela primeira vez). 

No finalzinho, aos 45, mais uma boa chance do Duque de Caxias. Edmário cobrou falta, mas a bola saiu pra fora. E logo depois, aos 48, foi a vez do Nova Iguaçu levar perigo com Luã Lúcio. 

2º tempo

Depois de um primeiro tempo errando, o Nova Iguaçu acabou fazendo duas mexidas no intervalo. Charles Chad, que errou finalizações, saiu para a entrada de Raphael Carioca. E ele viria a ser o grande nome da partida. 

Aos 6 minutos, o Nova Iguaçu começou pressionando em uma chance de bola parada. Künzel, bateu forte e por baixo da barreira, mas o goleiro Bruno acabou defendendo. 

A Laranja, no entanto, conseguiu achar um espaço vazio na lateral esquerda do campo do Duque e foi pela esquerda que saiu o gol que pôs o time iguaçuano de volta à elite. Aos 9 minutos, Raphael Carioca recebeu um cruzamento e partiu com velocidade pela esquerda, driblou um zagueiro e tocou no cantinho do goleiro Bruno. Nova Iguaçu 1x0. 

Mas quem pensa que o Duque estava abatido, pensou errado. Buscando o gol de empate, o Tricolor da Baixada passou a buscar chances. Aos 14 minutos, após falta em Rafael Tanque, Oziel bateu, mas Raphael Neuhaus conseguiu afastar. 

Aos 15, por pouco o Nova Iguaçu não marcou contra: Neuhaus errou o lado após cobrança de escanteio de Oziel. No minuto seguinte, Alex Pixote quase marcou o gol de empate, mas Luis Henrique defendeu. 

E as coisas começaram a ficar estranhas de novo a partir dos 17 minutos. Raphael Neuhaus deu uma entrada de sola e ainda comemorou. O jogo acabou sendo paralisado duas vezes por causa de confusões entre jogadores de ambas equipes, confusões essas que o árbitro não conseguiu contornar. 

Aos 23 minutos, mais uma vez, a defesa do Nova Iguaçu provou porque é a melhor do campeonato. Após falta cobrada por Gean Miller, a defesa da Laranja da Baixada conseguiu afastar. 

O desespero pelo acesso mudou de lado à medida que o tempo passava. Apesar do empate no agregado, o Nova Iguaçu, campeão de turno, tinha a vantagem de jogar justamente pelo empate no agregado. Por outro lado, o Morcego da Baixada fechou a casinha e todos os ataques tricolores não passavam pelo eficiente ferrolho defensivo laranja e preto e pelas boas defesas de Luis Henrique, que mesmo com 41 anos de idade, vem fazendo uma ótima temporada. 

Aos 30 minutos, mais uma chance laranja: Ewerton foi acionado, mas a bola foi muito forte. 

Aos 32, outra vez Luis Henrique: após cobrança de falta de Gean Miller, o experiente goleiro do escrete iguaçuano defendeu. 

Aos 33, mais uma vez, o Nova Iguaçu quase marca contra após cobrança de escanteio. No rebote, Wellington Carioca isolou a bola. 

Aos 35, Luis Henrique acabou caindo após cobrança de tiro de meta. O jogo ficou parado por dois minutos para atendimento ao goleiro do Nova Iguaçu. O treinador Hermes Júnior ainda tinha mais uma substituição, mas ele preferiu esperar. O próprio Luis Henrique tomou cartão amarelo aos 37 minutos por fazer cera. E logo depois, Thiaguinho, que entrou no segundo tempo, quase marcou para o Duque de Caxias. 

Aos 38, Canela, do Nova Iguaçu, acabou fazendo falta dura, mas não levou amarelo. Só alguns minutos depois é que o jogador foi amarelado. 

Aos 47 minutos, tivemos mais uma confusão entre os jogadores de ambos os times e bem no finalzinho e no desespero, Bruno, do Duque de Caxias correu para a área do Nova Iguaçu para tentar o gol de empate. E por duas vezes. Além disso, o juiz acabou marcando um impedimento que na visão do time caxiense foi inexistente. E logo depois, o árbitro Andrew Ferreira de Mello apitou enquanto o Duque de Caxias estava ao ataque. Isso enfureceu os jogadores do tricolor, que partiram pra cima do árbitro e o agrediram. O juiz acabou revidando.

Foto: Reprodução Duque TV

Na súmula, o juiz Andrew relatou ter sido agredido e ameaçado de morte por três jogadores do Duque de Caxias: Alex Pixote e os reservas Richard e Renan Silva. Richard, camisa 17, era o mais exaltado e segundo o que foi relatado, além de ter dado um soco na nuca, teria dito as seguintes palavras: 

"Tu vai morrer, sou bandido do Chapadão"

Alex Pixote só não partiu pra cima do trio de arbitragem por causa da intervenção da PM, mas também teria ameaçado o árbitro. 

O jogador Richard negou que tenha dito essas palavras e em nota (leia abaixo) disse que estuda junto ao departamento jurídico do clube a possibilidade de acionar Andrew Ferreira de Melo na justiça

"Realmente eu me exaltei após o fim da partida e parti pra cima do trio de arbitragem para questionar a péssima atuação deles. Passei um pouco do limite na hora de questionar, e sei que não agi da melhor maneira. Mas é importante afirmar que não agredi ninguém, e em momento algum disse que era bandido do Chapadão ou morro algum. O árbitro falta com a verdade ao relatar tal afirmação, e vai precisar provar. Sou atleta profissional de futebol, ganho a vida dentro de campo e sustento minha família dessa forma. Sou de uma família humilde, e sempre fui educado e orientado para viver longe do crime e das amizades ruins. Sei o valor do meu trabalho, e respeito aqueles que apostam e dependem de mim. Na discussão com o quarto árbitro, no calor do ambiente e com o clima tenso, ele disse que era policial, e daria tiro na gente. Eu falei para ele ir no morro do Chapadão ou qualquer outro morro com bandido se quisesse trocar tiro, e não ameaçar a mim e meus companheiros. Se teve alguém ameaçado em campo, esse alguém foi eu"

Já o Duque de Caxias disse em nota (leia abaixo) ser contra qualquer tipo de violência e ainda criticou a matéria do Globoesporte, dizendo que o título original ("Árbitro relata ameaças de morte e agressões na Série B1 do Carioca; "Sou bandido do Chapadão"")  é sensacionalista e maldoso.

"O Duque de Caxias Futebol Clube vem a público se posicionar sobre a matéria publicada no site Globoesporte.com no dia 10/12/2020 às 17h13 com o título “Árbitro relata ameaças de morte e agressões na Série B1 do Carioca: ‘Sou bandido do Chapadão'”, utilizando a súmula da partida contra o Nova Iguaçu, na última quarta-feira (9), pela semifinal geral do Carioca B1, publicada no site da FERJ, como única fonte para tal matéria.

Na visão do Clube, o título da matéria é bastante sensacionalista e pode trazer prejuízos à carreira do atleta Richard, a quem o árbitro relatou na súmula como sendo autor da frase, que está em destaque no site. Em nenhum momento, a Assessoria de Imprensa do Duque de Caxias Futebol Clube foi procurada para esclarecer a situação, como manda um dos princípios básicos do bom jornalismo.

O Duque de Caxias Futebol Clube respeita e valoriza o trabalho não só do GloboEsporte.com, como de todos os veículos de imprensa, porém, neste caso, nos sentimos prejudicados com a forma em que foi abordada uma questão tão séria e que pode trazer danos irreversíveis à carreira do atleta e à reputação do Clube.Vale ressaltar também que o Duque de Caxias Futebol Clube repudia qualquer forma de violência dentro e fora dos gramados, antes, durante e depois das partidas, porém reconhece que houve excesso de alguns atletas após o apito final contra o Nova Iguaçu por conta da má condução de uma partida tão importante pelo quarteto da arbitragem.Estamos à inteira disposição da imprensa para mais esclarecimentos sobre o caso.

Duque de Caxias Futebol Clube"

Com esse resultado, o Nova Iguaçu volta à primeira divisão, cinco meses depois de fazer uma campanha desastrosa na elite. A Laranja da Baixada inclusive chegou a ameaçar não disputar a Série B1 e pedir que o seu rebaixamento fosse anulado (assim como a classificação da Cabofriense à Seletiva). Porém, o Nova Iguaçu disputou e fez uma excelente campanha até aqui. 

Agora, o adversário será o Sampaio Corrêa. O primeiro jogo será no sábado, em Saquarema, enquanto o jogo de volta será na quarta - feira que vem, no Jânio Moraes. Em caso de empate no placar agregado, disputa de pênaltis. A Laranja da Baixada vai em busca do tricampeonato (venceu em 2005 e 2016). O Galinho da Serra vai em busca do seu primeiro título de segunda divisão. 

Quanto ao Duque de Caxias, o time vai voltar a jogar apenas no meio do ano que vem, para a disputa da Série A2 do Campeonato Carioca, junto com o outro eliminado desta tarde, o Maricá, o Gonçalense, Artsul, Goytacaz, Angra dos Reis, os cinco últimos da Seletiva (e o Nova Iguaçu pode ser um destes times) e o último colocado da fase principal da Série A1 de 2021. 

Texto de Luiz Nascimento

Matéria publicada em 10/12/2020, às 10:25 e atualizada em 12/12/2020, às 0:43

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.