Divulgação: Americano FC

Depois da eliminação na Seletiva, o Americano viu seu planejamento para o ano de 2021 mudar. O time disputará a Série A2 do Carioca a partir de junho e a diretoria optou por mudanças. Em reunião feita nesta quarta-feira (24), definiu-se que a equipe deveria ter um DNA sempre ofensivo, algo que a nova gestão do clube vem tentando construir. Também foi acertado no encontro a manutenção do executivo Luciano Portela e a saída do técnico Caé Cunha. Ele deixa o clube com apenas 10 jogos disputados, todos pela Seletiva. Foram três vitórias, um empate e seis derrotas no período, com o Americano ocupando a vice-lanterna da competição. 

Lamentando a má campanha, o presidente Vagner Xavier ainda acredita no seu ideal futebolístico, onde o Americano deve buscar um futebol propositivo. Essa, segundo o presidente, é a marca que o clube tinha em seus anos de glória. Falando diretamente ao site do Cano, Vagner comentou sobre essa situação:

“Estou apenas no primeiro ano do mandato e foi minha primeira competição. Entendo a cobrança por resultados, mas precisamos pensar a longo prazo e mudar a mentalidade dos times que são montados no Americano. Já buscamos uma equipe mais ofensiva desta vez, mas, infelizmente, tivemos alguns percalços que impediram de termos sucesso. Vamos continuar pensando sempre desta forma. "

Tendo em vista que a próxima competição será apenas em junho, a diretoria alvinegra pretende alinhar este planejamento ao longo dos próximos meses. Os jogadores que disputaram a Fase Preliminar terão seus vínculos encerrados e não está definido quem pode ser aproveitado na montagem do novo elenco. Ou seja, para o início da Série A2, é bem provável que o elenco esteja bem modificado. Sobre o trabalho de Caé, Vagner também comentou:

“Agradecemos o trabalho feito pelo Caé Cunha e sua comissão técnica. O planejamento foi montado para um estilo de jogo, mas algumas peças acabaram não se encaixando da maneira que esperávamos e também aconteceram lesões de jogadores que eram primordiais para o esquema de jogo. O legado que fica é que agora temos uma base e um estilo de jogo que continuará sendo implantado nos próximos anos”

Para dar continuidade no planejamento, o clube deve escolher em breve o próximo treinador, atendendo aos parâmetros que a diretoria traçou. Paralelo a Série A2 será disputado também o campeonato sub-20. Auxiliar de Caé no profissional, Fabiano Pereira retorna para a categoria e inicia nas próximas semanas a fase de teste já de acordo com este planejamento de ter um DNA ofensivo desde as categorias de base. Dessa maneira, a diretoria quer integrar cada vez mais a base e o profissional, com um mesmo modelo e estilo de jogo, facilitando a transição dos jovens. 


Texto de Hugo Lage
Matéria publicada em 25/02/2020, às 14:00

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.