Foto: Eduardo Peralta

 Os últimos dias foram bastante agitado para o Boavista, com a perda de 7 pontos por escalação de um jogador irregular em duas partidas (Vasco e Flamengo), com os minutos finais de sua partida contra a Portuguesa sendo remarcado para o dia seguinte, mas a equipe conseguiu ter um alivio após vencer a Lusa pelo placar de 2x1 fora de casa. O treinador do Verdão de Saquarema, Leandrão, falou com a nossa equipe sobre esses desafio e as expectativas para o próximo.

  O treinador comentou sobre a novidade de ter uma partida remarcada após o seu início, não só para ele como para toda a equipe, e destacou a importância de ter tido um tempo a mais para avaliar os erros da sua equipe e os pontos que poderiam ser aproveitados para conseguir a vitória.

 Sobre o caso do jogador irregular, ele diz está muito tranquilo quanto a essa situação, pois entende que o atleta cumpriu a suspensão nas categorias de base organizada também pela FERJ, sendo assim, regularizando a sua situação, porém também comentou que prefere deixar esse caso para os advogados do clube.

 Ele buscou destacar a sequência do planejamento inicial que era conquistar o máximo de pontos possível, pois hoje ele vê uma mudança de cenário significativa no clube comparado aos últimas 4 temporadas, sendo um time mais competitivo.

 Finalizando a entrevista, ele comentou da dificuldade do próximo confronto devido ao pouco tempo de trabalho, sendo praticamente apenas um dia de treino, por conta do período de recuperação, fora concentração e viagem já que o jogo é fora de casa contra o Resende, mas fez questão de destacar a qualidade de sua comissão técnica, e da preparação que foi feita na pré-temporada.

 O Boavista joga na próxima segunda-feira (21) contra o Resende, no Estádio do Trabalhador, ás 15:30, em confronto válido pela 8º rodada do Cariocão.


Confira a entrevista na íntegra:

 

1- Primeiro gostaria de começar falando da vitória hoje contra a Portuguesa, uma grande vitória jogando fora de casa, como você analisa a partida da equipe e a importância desses pontos?


R.: "Conhecendo o plantel da Portuguesa, eu tinha comentado com os jogadores que seria uma partida dificílima por conhecer a qualidade individual dos jogadores, então esperávamos uma partida como foi, um jogo difícil, saímos na frente, cedemos o empate e logo depois teve o acontecimento de falta de energia, o campo estava bem escuro e começou a chover muito, foi um jogo dificílimo. E teve esses 22 minutos de jogo para terminar hoje (18), fizemos uma estratégia em cima do que conseguimos analisar do jogo de ontem (17), e graças a Deus com o trabalho que a gente vem fazendo e com a dedicação de todos os atletas conseguimos fazer o 2º gol, conseguindo sair com a vitória que é importantíssima para o nosso objetivo dentro da competição." 


2- Como você encarou o adiamento dessa partida faltando poucos minutos para terminar? O que deu para tirar de positivo e negativo da situação?


R.: "Nunca tinha passado de adiamento de uma partida tendo que terminar no dia seguinte, eu acho que os jogadores também por ter uma equipe hoje considerada muito jovem, nunca tiveram uma experiência igual, mas foi o que eu disse na primeira pergunta, um ponto positivo foi que a gente conseguiu de ontem para hoje trabalhando na madrugada, não eu sozinho, mas toda a minha comissão técnica, analise de desempenho, conseguimos fazer uma análise rápida do que vinha dando certo e errado dentro da partida e conseguimos ajustar a equipe e explorar aquilo que a gente viu na análise e foi dentro disso que saiu o nosso gol hoje, de uma análise que vimos não só de ontem para hoje, mas já desde antes do jogo."


3- Sei que é um assunto delicado, mas falando dentro do seu trabalho, o quanto esses 7 pontos perdidos da equipe dificulta seu trabalho?


R.: "É claro que os jogadores ficaram sabendo, eu fiquei sabendo, já tinha conhecimento que poderia acontecer, mas está sendo julgado ainda, vai para o STJD, para a 2º instância, nós do clube estamos bem tranquilo, sabemos que tudo foi feito de maneira regular, que o jogador não tem nenhum problema de suspensão, um jogador que tem idade de júnior, e ele cumpriu a regra que seria cumprir na próxima competição da Federação, que seria um campeonato de júnior, foi o que aconteceu. Mas os bastidores a gente deixa para os advogados do clube resolverem, mas eu mantenho naquela tabela lá em cima, independente da gente perder pontos ou não, a gente já tinha em mente vencer o máximo de partidas possíveis e a gente vai em busca disso."


4- Hoje, o clube começa a ter um trabalho na corda bamba, pois fica próximo do rebaixamento e distante da classificação para a Taça Rio, houve uma mudança no seu planejamento no aspecto técnico em decorrência dos atuais acontecimentos?


R.: "Não mudou nada no planejamento, e eu tentei passar para os jogadores que não tem isso de zona do rebaixamento, eu acho que os jogadores compraram essa ideia, os jogadores estão determinados e emprenhados naquilo que a gente vem fazendo. Dentro da comissão técnica eu fui auxiliar, então já venho ai quase 10 anos e graças a Deus hoje consigo ver um trabalho já duro, o Boavista hoje totalmente diferente do que era uns 3,4 anos atrás, um time jovem, uma mescla, poucos jogadores mais experientes, mas com uma característica própria, individual de cada jogador, mas uma característica minha, da minha comissão técnica, a gente desenvolve todos os dias meu estilo de jogo, que a gente implanta nos treinamentos e eu fico muito feliz de ver isso dentro de campo, independentemente de vencer ou não o que a gente precisa é colocar um time competitivo em campo."


5- O próximo confronto é o Resende, apenas na segunda-feira, entretanto, não dá para falar que tem um bom tempo de preparação por conta do adiamento faltando poucos minutos para o término do jogo, enquanto o Resende já vem com um período a mais de preparação, qual vai ser a maior dificuldade no confronto?


R.: "É complicado, nós temos dois dias de recuperação, praticamente não tempo nem para gente treinar, mas temos uma comissão técnica preparada para isso, tem fisiologista, preparador físico, fisioterapia, todos preparados para recuperar os atletas, um trabalho já bem atualizado dentro do futebol moderno de grandes clubes, a gente tenta recuperar eles o máximo possível, fizemos uma boa pré-temporada já imaginado isso, os jogadores estão preparados, a nossa análise de desempenho não só técnico, mas físico compara todos os jogos e a gente vem tendo uma regularidade muito grande nos jogos na parte física, na parte de recuperação, então agora é recuperar os atletas para segunda-feira estarmos 100% nesse jogo fora de casa novamente, contra o Resende."


Texto de João Victor

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.