Divulgação: 7 de Abril

Oriundo da Zona Oeste do Rio de Janeiro, o 7 de Abril em apenas 14 anos de história deixou de ser uma modesta ONG, em um projeto de futebol amador, para ser um dos clubes de maior ascensão nas divisões inferiores do Estado. Dono de projetos para jovens atletas, denominado “Projeto Pé na Bola” e “Cabeça na Escola”, o 7 de Abril concentrava suas principais atividades apenas nas divisões de base. 

Com participações no Amador da Capital - um modesto torneio de futebol juvenil promovido pela FERJ - durante 2011 até 2017, um novo passo foi tomado há três anos, quando o clube participou pela primeira vez na sua história do campeonato carioca. Estreante na série C estadual, o 7 de Abril foi promovido de divisão após terminar a competição em 4° lugar, em 2017. Desde então a equipe permaneceu por mais três temporadas na série B2 estadual, sem sofrer riscos de rebaixamento. Ao contrário das expectativas, o 7 de Abril lutou pelo acesso em todas temporadas, e após ser o 6° lugar em 2019, conquistou mais uma promoção histórica, a maior de todas: a ida para a B1 Carioca. 

Vice-Campeão da Taça Maracanã (1° turno), o 7 de Abril se classificou à semifinal geral da competição, depois de se qualificar entre os quatro melhores clubes do torneio. Com 31 pontos gerais, 9 vitórias em 15 partidas e 33 gols marcados na B2 estadual, o 7 de Abril venceu o Carapebus 3 a 0 no segundo jogo, tendo apenas 13 atletas disponíveis para a partida. Dessa forma, o placar agregado ficou 6 a 5 para o Auriverde de Paciência. Classificado para a final geral, o time de Paciência pode adquirir seu primeiro troféu profissional. Sendo assim, a modesta ONG surgida em Paciência, sobe duas vezes de divisão em apenas três anos. A promessa é que se torne um dos clubes mais promissores do Rio de Janeiro.


Texto de Gabriel de Oliveira
Matéria publicada em 31/01/2021 às 18:00

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.