Foto: Ricardo Marchetti/Esporte Clube São Luiz

Neste domingo (13), se enfrentaram, pelo jogo de volta do grupo B14 da Segunda Fase da Série D, São Luiz e Cabofriense, no estádio 19 de Outubro, em Ijuí, interior gaúcho. O Tricolor Praiano lutou até o fim, mas Juba acabou enterrando as pretensões do Marlim Azul na quarta divisão nacional.

O jogo começou bem equilibrado, e ao contrário da partida de ida, a Cabofriense começou levando perigo. O time contou com a volta de Felipe Ferreira, que ficou de fora do jogo de ida para cumprir quarentena. Mas Vander, que testou positivo para Covid - 19, ficou de fora. Isso talvez acabou refletindo na qualidade das finalizações do Tricolor.

Porém, com menos de 2 minutos, o São Luiz quase abriu o marcador com Hugo Almeida. Só que desta vez, a zaga de Cabo Frio estava mais esperta. 

Quatro minutos depois, defesaça de George, embora pouco antes, Jackinha quase marcou contra. Aliás, o camisa 6 acabou sendo muito marcado por Matheus Lagoa, do Rubro. Tanto que foi substituído de tanto estar desgastado.

Aos 16 minutos, o São Luiz abriu o placar com Juba. Ele recebeu de Hugo Almeida, se livrou da marcação tricolor e só teve trabalho pra chutar no cantinho de George. À essa altura, a Cabofriense precisava de dois gols para se classificar ou de um gol para decidir nos pênaltis.

Por volta dos 20 minutos, dois lances de dividida envolvendo o atacante Coutinho, da Cabofriense e o goleiro Rafael Roballo, do São Luiz. No primeiro, foi Roballo quem trombou e no segundo, quem dividiu foi Coutinho.

Aos 25, 31 e 36 minutos, três boas chances para a Cabofriense. Na primeira, Thiago Ryan cobrou falta, mas mandou por cima do travessão. Na segunda, outra chance de gol que parou nas mãos de Rafael Roballo. E na terceira, Natan saiu em velocidade e Roballo defendeu. 

Aos 38, susto pra George: Hugo Almeida cruzou, mas Juba acabou chegando tarde demais.

Aos 42, a melhor chance tricolor: Coutinho surpreendeu Roballo e chutou da diagonal, mas a bola passou raspando. Três minutos depois, Silvio quase ampliou para o São Luiz. E assim, a Cabofriense chegou ao intervalo sendo eliminada.

Na etapa final, a chuva forte começou a tornar o jogo bem mais perigoso. E isso viria a refletir durante toda a segunda etapa.

Aos 3 minutos, Mascote, que entrou no intervalo quase empatou. Coutinho passou rasteiro, mas o camisa 17 não chegou a tempo. 

Aos 7, a zaga da Cabofriense afastou com louvor uma bola do São Luiz. 

Aos 16, mais uma chance para a Cabofriense. Coutinho recebeu, mas foi assinalado impedimento. 

Com o passar do tempo, os dois times passaram a criar mais e fazer um jogo mais parelho, apesar da chuva torrencial que caía em Ijuí. 

Aos 31, mais um susto para o Tricolor: Lucas Crispim (que não é aquele revelado pelo Santos) emendou um chutão no ângulo. 

Logo em seguida, Coutinho teve duas chances. Na primeira, ele acabou escorregando. Já na segunda, ele chutou bem, mas Rafael Roballo defendeu. Logo em seguida desta segunda chance, outro susto pra Cabofriense: Paulinho Santos acertou um outro chutão, mas que acabou indo pra fora. 

Aos 43 minutos, mais uma boa defesa de George, após finalização do São Luiz. No escanteio que veio na sequência, Juba, de cabeça, marcou o segundo dos gaúchos, decretando a eliminação do time da Região dos Lagos. Mesmo assim, a Cabofriense não desistiu até o último minuto, fazendo um belo espetáculo aos que gostam de futebol.

Com esse resultado, o São Luiz fechou 3x1 no placar agregado. Na próxima fase, as oitavas de final, vai pegar a Aparecidense/GO, que goleou o Tupynambás/MG por 4x0.

Já quanto a Cabofriense, ela encerrou o ano de 2020. Agora, o Tricolor Praiano só volta a campo em 16 de janeiro de 2021, pela Seletiva da Série A1, quando enfrenta o Americano, fora de casa. O Tricolor Praiano só volta a Série D em 2022, se conseguir passar pela seletiva e ficar entre os melhores sem divisão ou caso chegue à final da Copa Rio.

Texto de Luiz Nascimento

Matéria publicada em 13/12/2020, às 20:25

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.